EMPREGOS

Video

CUITEGI

FOTOS


Seria impensável que o partido de um Governador de estado ficaria sem representatividade para disputar uma eleição em um município mesmo tendo “aliados”, pois bem, em Duas Estradas no agreste Paraibano deve caminhar para isso, “aliados” que preferiram deixar o Cidadania de João Azevedo para integrar outro partido e deixar “inviabilizado” a legenda do próprio João.

O que aconteceu?, vamos lá. Considerado um dos principais nomes ao lado do ex-vereador Carlinhos para disputar a eleição pela oposição, o ex-prefeito Edson Gomes (diretor administrativo do HRG) foi colocado na presidência do Cidadania e consequentemente filiar os seus prés-candidatos a vereadores no partido, mas nos prazos finais de filiações Edinho recuou da ideia e colocou seus principais nomes como todos os vereadores, a esposa e outros amigos próximos no PP (Progressistas) do deputado federal Agnaldo Ribeiro e da senadora Daniela Riberiro, ambos oposição ao governador Azevedo.

Diante do cenário traçado partidariamente apenas Edinho ficou no Cidadania e muito se pergunta, o porquê dessa estrategia de isolar o partido do próprio governo ao qual é servidor?, será que João vai aceitar de bom grado ver seu partido diminuído e um aliado colocar em um partido de oposição todos os que deveriam está ao seu lado?.

Em conversa com alguns aliados do ex-prefeito existe uma possível explicação para um dos fatos, devido a possibilidade do mesmo não poder ser candidato por uma reprovação de contas no Tribunal de Contas da Paraíba, a melhor estratégia seria colocar a esposa Adriana Luna em um partido e assim ser sua opção de apoio tendo em vistas que não iria apoiar outro nome a não ser alguém muito próximo. Para a questão de ter colocado vereadores e outros pré-candidatos no PP não souberam explicar, porque não dependeria de está no Progressistas para serem candidatos e se mantendo no Cidadania no minimo garantia uma bancada de apoio partidário ao Governador.

Fonte: Blog de Felipe Silva
3
0 Comentários

Postar um comentário